Sexta-feira, 24 de Junho de 2011

BJ

Nem sempre o que queres é o que precisas. Clara como a minha lucidez.

 

 

Hoje repara nas estrelas, como elas brilham, como são todas tão diferentes e tão iguais. Lembra-te que já não estou aí. Que tomei o meu rumo, depois de tudo o que relembrei.

 

A tua pele, os teus ossos, a tua cartilagem, tudo tão singelo, e amei-te tanto! Algo tão bonito, e sei que sabes o quanto te queria aqui a abraçar-me…

 

Ultrapassei tudo e todos, vês o que fiz para te ter aqui!? Que coisas que fiz… Chamaram-me egoísta e masoquista. Acreditei em mim, simplesmente.

 

Por entre o medo e a culpa, questionava-me incessantemente …mas tu sabe-lo melhor que ninguém.

 

Mas as estrelas continuavam num brilho enternecedor, cintilante, tão equívoco. Continuavam a iluminar todas as nossas noites, brilhavam para nós!

 

Olha-as, depois de tudo o que me fizeste…

 

 

Estão tão diferentes e tão iguais… Um dia digo-te porquê.

 


publicado por devaneios demarcados às 19:20
link do post | comentar | favorito
«A man should look for what is, and not for what he thinks should be.» __________________________ - Albert Einstein
«...things don't have to be extraordinary to be beautiful. Even the ordinary can be beautiful.»

*Janeiro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


*posts recentes

* ...

* 2013.

* Deste razão ao meu 0912.

* ...

* #

* O silêncio vai ser a tua ...

* E com que leviandade...

* O fim.

* ?

* ...

*arquivos

* Janeiro 2013

* Dezembro 2012

* Outubro 2012

* Setembro 2011

* Julho 2011

* Junho 2011

* Maio 2011

* Abril 2011

* Março 2011

* Fevereiro 2011

* Dezembro 2010

* Novembro 2010

* Outubro 2010

* Setembro 2010

* Agosto 2010

* Julho 2010

* Maio 2010

* Março 2010

* Fevereiro 2010

* Janeiro 2010

* Dezembro 2009

*mais sobre mim

*pesquisar