Terça-feira, 30 de Novembro de 2010

....

Vá lá...vem-me matar as saudades que tenho...:x

tags: , ,

publicado por devaneios demarcados às 20:13
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 28 de Janeiro de 2010

Arde sem se ver . . .

Interpelo a minha própria razão que subsiste no teu ser… Diz-me se conseguiste ser mais que um Calhau, um inanimado independente. Experimentas, discordas, opinas, argumentas, decides e reconheces que o sabes executar, melhor que ninguém. E contra-argumento no meu íntimo que não o exercitarias se, alguém não tivesses que, contigo repartisse sensações.

Então também as pedras conseguem idealizar convicções tão demarcadas sobre a vida, sobre o Mundo, sobre tudo aquilo que engendras meticulosamente!? Sabes que és real porque os meus sentidos to mostram repetidamente. Não sei mais nada!

Valeu a amofinação? ...Aquilo com que te desiludiste, despedaçou-me! Reconstruo a nossa novela, aquela que nunca desejámos ter edificado desta maneira.

 

Um aviso de mudança, de fortificação de laços!

...E enquanto pernoito insaciavelmente, faz-me falta o que eras comigo'

 

«Viviam a lenta e invisível compenetração dos seus universos, como dois astros que gravitam em torno de um eixo comum, em órbitas cada vez mais estreitas, cujo destino evidente é o de colapsarem nalgum ponto do espaço e do tempo.»

 

 

 

 

 

 

"Looking ahead is a whole new future.

But the past still has me"

 

 

0912

tags: , ,

publicado por devaneios demarcados às 12:08
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quinta-feira, 21 de Janeiro de 2010

Someone that cannot love'

Um turbilhão de relações que apaziguo! Relaciono cada descoberta a uma nova individualidade que permanece desconhecida numa imensa multidão.

Momento no qual tudo ao meu redor desmorona, e num instante sinto-me a tremer confusamente sem nexo, e não mais consigo permanecer intacta.

Rostos tão conhecidos que jamais reconhecerão jubilo. E mesmo antes de o descobrir tão intruso no meio de tantos outros, sentir o anúncio da sua presença.

 

Redescobri a intensidade a que já me desabituara...like the stars above!

Renega a minha importância, a falta que já não preencho.

Miss you

 

« Estavam agora separados há muitos meses, se admitirmos que estar separado de uma pessoa é deixar de a ver e de falar com ela. Se quisermos ser mais rigorosos, teremos de dizer que permaneciam dentro um do outro, em colóquio ininterrupto. Mesmo quando as vaidades da carne os conduziam a outros braços e outros beijos, era o cheiro um do outro que descobriam, em saudade aflita, no fundo prazer do sexo alheio. Essa saudade demonstrava-lhes que a guerra que pensavam terminada num empate sem glória estava apenas num período de tréguas.»

 

«...e de eu te possuir sem tu te dares; és um rosto de nojo e negação; e eu fecho os olhos para não te ver.»

 

0912


publicado por devaneios demarcados às 14:36
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quarta-feira, 6 de Janeiro de 2010

La Vida Louca

Agarras-me agora num suspiro inerte! A falta de cada pormenor que construímos tão preocupadamente abate qualquer expectativa que é circunscrita progressivamente… Uma polaridade descomunal. Afogaste-me em decepção, uma chaga que perdurará.

Pareces aprisionar-me de uma forma tão análoga. Tenho tanto orgulho em ti. Uma presunção afecta-me cada dia que passa numa existência remota. É inútil descodificar esse temperamento.

Corações desbravados pela pouca experiência que lhes fora concebida!

  

Ensaiei, cerrei os olhos e desatei a alma, deixei voar o que já não pretendia guardar, entreguei-me nos braços dum amigo. ... Já não contava com mensagens evasivas de esperança ou de controlo emocional, apenas um divertimento passivo de discordar.

Tudo o que vira perder, impune e destacada a permanecer intrusa.

 

"O amor aparece para alterar o rumo da tua vida, e acaba sempre por conseguir, quer queiras, quer não."

0912

 


publicado por devaneios demarcados às 20:09
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quinta-feira, 31 de Dezembro de 2009

Note to self: Just Breathe!

« Nobody said it was easy, no one ever said that it would be this hard!»

 

Trata-se pura, simples e tão inconscientemente de um modo de vida novo. Esperando usufruir novamente da totalidade que devaneei prolongadamente, porém desbaratei bruscamente! Fugaz e sem obrigatoriedade. Somente lhe atribuí valor quando já não o detinha ou em tempos que jamais pensara alcançá-lo.

Admiro-me desta surpreendente forma de simpatizar, dá-me mais prazer, reconhecer grandes momentos sem os possuir inteiramente, este fascínio gigantesco! Atribui-lhe um significado nulo, presumível de ser comparado à nossa frustração e, formulando um resultado tão inigualável…

 

 

«A vida traça circunferências e circunferências, mas o compasso acaba sempre por fazê-las com o mesmo centro e o mesmo raio.»

 

0912

 


publicado por devaneios demarcados às 00:44
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
«A man should look for what is, and not for what he thinks should be.» __________________________ - Albert Einstein
«...things don't have to be extraordinary to be beautiful. Even the ordinary can be beautiful.»

*Janeiro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


*Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

*posts recentes

* ....

* Arde sem se ver . . .

* Someone that cannot love'...

* La Vida Louca

* Note to self: Just Breath...

*tags

* todas as tags

*mais sobre mim


* ver perfil

* seguir perfil

. 7 seguidores

*pesquisar